Só para não profissionais de saúde residentes no Brasil

Printed From:

DORES MUSCULARES

Dores Musculares
 

Conhecer bem aquilo que te incomoda é a melhor forma de se ver livre do problema. Com a mialgia, mais conhecida como dor muscular, é a mesma coisa. Se você sofre deste desconforto com frequência, vamos te ajudar a entender as possíveis causas e indicar alguns cuidados e formas de prevenção.

O que acontece?Quando a atividade muscular é mais intensa ou repetitiva, as fibras do órgão são estiradas e tracionadas, levando ao surgimento de pequenas lesões. Esse fenômeno nos leva a lembrar da famosa dor do dia seguinte, ou Dor Muscular Tardia (DMT), um tipo de manifestação da mialgia que traz uma sensação de corpo travado, normalmente 72 horas depois da prática de exercícios intensos.

 
 

Dorflex (dipirona monoidratada, citrato de orfenadrina, cafeína anidra)

Por combinar dipirona com orfenadrina e cafeína, Dorflex possui ação analgésica e é também relaxante muscular. Descubra um pouco mais sobre cada uma das substâncias de sua fórmula:

Dipirona
É um medicamento que interrompe ou diminui a transmissão dos impulsos dolorosos, indicado para ser utilizado por um tempo curto, em casos de dores leves a moderadas.

Orfenadrina
Relaxante muscular com propriedades analgésicas que atuam em receptores do sistema nervoso central, a orfenadrina ajuda a reduzir a tensão (contratura) muscular. Pode ser associada a um analgésico, normalmente a dipirona.

Cafeína
Conhecida por seu efeito estimulante, a cafeína tem também uma variedade de aplicações médicas importantes. Quando combinada a analgésicos nas doses terapêuticas recomendadas, melhora significativamente a eficácia do medicamento.


Depois de descobrir um pouco mais sobre a ação das substâncias que ajudam a amenizar a dor fica mais fácil compreender o mecanismo de Dorflex. Sua fórmula combina dipirona com a orfenadrina e cafeína. Dorflex possui ação analgésica e relaxante muscular.

VEJA OS PRODUTOS
Dorflex®

SINTOMAS

LombalgiaDor ou rigidez localizada na extremidade inferior da coluna vertebral acima das nádegas. Pode ser consequência do uso excessivo do músculo ou de um trauma ou mesmo uma deformidade.1

CervicalgiaDor localizada na região do pescoço. Pode ser de origem muscular ou problemas na coluna.4

DorsalgiaDor nas costas (também conhecida como dorsalgia) é a dor sentida na região das costas que pode ser de origem muscular, ou ser causada por problemas nos nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral.3

CAUSAS

Postura inadequada As causas podem ser postura inadequada ou sobrecarga da musculatura lombar, seja pela realização de movimentos bruscos e intensos da coluna ou pelo carregamento excessivo de peso - especialmente quando a coluna fica curvada e os joelhos retos, em vez de flexionados.

Exercícios físicos Situações normais do dia a dia também podem trazer a lombalgia à tona, como carregar caixas, mudar móveis de lugar, aspirar a casa ou até mesmo ficar em pé por muito tempo. A prática de esportes e exercícios físicos intensos também podem ser causas frequentes.

Contratura muscular Outro facilitador para a ocorrência da dor muscular é a contratura, uma tensão involuntária do músculo extremamente desconfortável. Além de deixar a região endurecida, ela pode dar origem a um “caroço” dolorido. Alguns dos desencadeadores da contratura podem ser:

• Má postura;
• Estresse;
• Excesso de peso;
• Avanço da idade;
• Falta de flexibilidade;
• Movimento repentino.

ATENÇÃO

Quando a cefaleia tensional aparecer, tente relaxar. Prefira praticar atividades físicas moderadas e intercaladas com alongamento, como yoga, tome banhos quentes, vá ao massagista e durma bem.

Caso desacelerar não seja uma opção na sua agenda, existem os tratamentos medicamentosos. São eles os analgésicos, os relaxantes musculares, as associações ou os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) - este último grupo pode comprometer a tolerabilidade gástrica de alguns pacientes e, por isso, precisa de prescrição médica.

É muito importante que você consulte o médico para fazer uma avaliação diagnóstica precisa e receber uma abordagem terapêutica completa para as suas necessidades individuais, principalmente quando a dor de cabeça se tornar recorrente.

Também é indispensável que você se alimente bem e pratique atividades físicas, respeitando os limites do seu corpo, é claro!

DORFLEX® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.

DORFLEX (dipirona monoidratada, citrato de orfenadrina, cafeína anidra). USO ADULTO.
Indicações: no alívio a dor associada a contraturas musculares, incluindo CEFALEIA TENSIONAL. MS 1.1300.0183. Última revisão: 23/08/2018. Em caso de febre ou alergia, procure seu médico. SE PERSISITIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Dezembro/2018.

Fontes:
Bula Dorflex® - (dipirona monoidratada + citrato de orfenadrina + cafeína anidra) [bula]. Suzano: Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda; 2017.

Sites (consultados em Outubro/2017):
• http://www.sbed.org.br
• http://bvsms.saude.gov.br
• http://www.sbot.org.br
• http://ortopediabr.com.br
• http://medicinadoesporte.org.br/diretrizes
• http://patologiadacoluna.com.br
• http://doresmusculares.com
• https://blog.drconsulta.com/2017/09/nodulo-no-pescoco-afinal-o-que-pode-ser/

Artigos:
• Fernandes TL, Pedrinelli A, Hernandez AJ. Lesão muscular - fisiopatologia, diagnóstico, tratamento e apresentação clínica. Rev. Bras. Ortop. 2015 Dec 8; 46(3):247-55
• Fernandes TL, Pedrinelli A, Hernandez AJ. Sports injuries among amateurs athletes at a Brazilian university. Acta Ortop Bras. 2017 Mar-Apr; 25(2):93-98.
• Muglia Wechsler S., Zavarize·, SF. Lombalgia e qualidade de vida: estudo da produção científica no Brasil. Psicodebate 10 Vol. 10 (2010): 269-277
• Pires RAM., Dumas FVL. Lombalgia: revisão de conceitos e métodos de tratamentos. Universitas Ciências da Saúde vol. 6 no 2º (2008): 159-168
• Macedo DDP. Lombalgias. Cienc. Cult. Vol.6 no.2º (2011): 42-44

Referência 1 - Velloso, G. Lombalgia: incidência, sintomas e diagnóstico. Universitas Ciência da saúde. v. 02 n. 02º p. 252-257, Brasília.
Referência 2 - Schmidt, RF & Willis, WD. Neck Pain. In: Encyclopedia of Pain; Publisher: Springer Berlin Heidelberg; 2007: 1258.
Referência 3 - Acesso em 24/10/2014: http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/back-pain/basics/causes/con-20020797/
Referência 4 - Benseñor IM & Morais MSBBF. Cefaleias Primárias. Rev. Bras. Med. 2009; 66 (6): 138-147.